Virgínia Apgar
(1909 - 1974)
Anestesiologista estadunidense nascido em Westfield, New Jersey, uma médica notável e que reconheceu a necessidade de existir uma maneira fácil e eficaz de avaliar o recém-nascido, chegou a cinco pontos-chave para a avaliação da vitalidade do recém-nascido, introduzindo o primeiro método padronizado para avaliar o recém-nascido, criando o Índice de Apgar (1952), um sistema de avaliação utilizado até os dias de hoje para avaliar as condições de vitalidade do recém-nascido. Filha de Helen Clarke Apgar e de Charles Emory Apgar, entrou no Mount Holyoke College (1925), formando-se em zoologia e conhecida como uma estudante muito ativa na sua escola principalmente porque tocava violoncelo e violino. Recebeu seu Bachelor of Arts no Mount Holyoke College (1929). Por necessidade financeira arranjou um emprego em um laboratório fisiológico para gatos e assim adquiriu a vontade de fazer medicina. Estudou medicina em New York, e formou-se com um M.D. na Columbia University's College of Physicians and Surgeons (1933). Foi cirurgião interno e residente (1933-1936) no Columbia Presbyterian Hospital, orientado por Alan Allen Oldfather Whipple (1881-1963), que a aconselhou a se tornar anestesiologista. Seguindo o conselho, estudou (1936-1937) os fundamentos de anestesiologia para enfermeiras do Columbia Presbyterian e, em seguida, fez uma residência durante seis meses com cada dos pais da anestesiologia estadunidense (1937-1938), Ralph Waters na Universidade de Wisconsin em Madison, e Emory Rovenstine no Hospital de Bellevue em New York. Voltou (1938) para a divisão de anestesia do Columbia Presbyterian Hospital do Columbia-Presbyterian Medical Center. No ano seguinte recebeu o Board Certification da American Society of Anesthesiologists, a segunda mulher para adquirir este certificado. Imediatamente (1939) foi nomeada anestesiologista principal da divisão de anestesia do departamento de cirurgia do Columbia Hospital Presbyterian, se tornando a primeira mulher para chefiar um departamento da Columbia e onde ela desenvolveu um grande programa em anestesiologia para residentes. Serviu como tesoureira da American Society of Anesthesiologists, a ASA (1941-1945) e tornou-se (1949) professor de anestesilogia, a primeira mulher com um professorship no College of Physicians & Surgeons at the Columbia University, ano em que começou a estudar com seus alunos um método para avaliação da vitalidade dos recém-nascidos. Durante um ano sabático (1959) recebeu um master's degree em saúde pública, da Johns Hopkins University, em Baltimore. Juntou-se a National Foundation for Infantile Paralysis (1959) e como diretora da divisão de más-formações congênitas (1959-1967). Depois foi vice-presidente e diretora de pesquisas básicas (1967-1972) e vice-presidente senior para assuntos médicos (1973-1974). Recebeu inúmeras congratulações, como o Distinguished Service Award da ASA (1961) e a Gold Medal for Distinguished Achievement in Medicine do College of Physicians and Surgeons, Columbia University (1973), ambos os primeiros para mulheres, e morreu em New York City. In 1994, Tornou-se estampa de selo oficial dos U.S. (1994) e entrou para a National Women's Hall of Fame in Seneca Falls, New York (1995).