Teófilo de Antioquia
(~120 - 180)
Teólogo, escritor cristão apologista e patrístico do período pré-nissênico originário de uma localidade situada perto do rio Eufrates, nos arredores da cidade síria Antióquia, considerado o último apologista de renome do Século II e o único, dentre eles, elevado ao episcopado. Seus dados biográficos são pouco conhecidos, porém se acredita que descendia a uma família pagã, que recebeu excelente formação literária e converteu-se ao cristianismo já adulto, após ter conhecido e estudado profundamente as Sagradas Escrituras dos santos profetas. Segundo Eusébio de Cesaréia (263-340), na sua História Eclesiástica, ficou conhecido como o sexto bispo da Igreja de Antioquia, depois dos apóstolos, ou o quinto sucessor de Pedro de Antióquia. Embora nada se saiba a respeito de sua morte ou de outros detalhes ou circunstâncias de sua vida, pode-se afirmar que era bispo de Antioquia (169-170). Também parece que sua produção literária foi extraordinariamente extensa, embora pouca coisa tenha sido registrada pelos historiadores. Sabe-se que foi o autor do A Autólico, elaborado na segundo metade do século II, um escrito apologético conservado, dividido em três partes, dirigido ao seu amigo Autólico: Três Livros a Autólico (179-181). Foi o primeiro autor cristão a ensinar explicitamente que os livros do Novo Testamento procedem de autores inspirados e, assim, possuíam valor análogo às antigas Escrituras.