Dinastia de Tudor
(1485 - 1603)
A Dinastia de Tudor figura como a mais brilhante da história da realeza dos britânicos. Composta de seis soberanos consecutivos, pelo menos três deles estão entre as figuras mais famosas em história monárquica da Inglaterra e da Grã-Bretanha. Tudo começou quando Ricardo III, ultimo rei Stuart, foi derrotado e morto por Henrique de Tudor, de origem galesa, na Batalha de BosworthField, Leicestershire (1485), que marcou o epílogo da Guerra das Rosas e, assim, abriu caminho para o início da Dinastia de Tudor, coroando-se como Henrique VII, seu filho como Henrque VIII e os três netos como Edward VI, Maria I e Isabel I, que governaram durante 118 anos.  Durante este período, a Inglaterra desenvolveu-se como um dos mais significativos poderes coloniais europeus, expandindo seu domínio pela América e assumindo o controle da Irlanda. Teve um papel proeminente no Renascimento cultural da Europa, com nomes como William Shakespeare, Edmund Spenser e o CardealWolsey. Também foi um período de enorme turbulência religiosa, com a criação do anglicanismo e duas mudanças de religião oficial, o que resultou no martírio de muitas vítimas inocentes tanto do lado do Protestantismo como entre os Católicos romanos. Por exemplo, o rei Henrique VIII rompeu com Roma (1534), suprimiu os monastérios e concedeu permissão para os padres se casarem. A seguir os links para o resumo biográfico de cada um dos monarcas dessa extraordinária dinastia.

Henrique VII, Conde de Pembroke (1457 - 1509), Rei da Inglaterra (1485-1509)
Henrique VIII (1491 - 1547), Rei da Inglaterra (1509-1547)
Eduardo VI (1537 - 1553), Rei da Inglaterra (1547-1553)
Joana I Grey, Lady Dudley (1537 - 1554), Rainha da Inglaterra (1553-1553  (deposta e executada)
María I, a Sanguinária (1516 - 1558), Rainha da Inglaterra (1553-1558)
Elizabeth I , a Rainha Virgem (1533 - 1603), Rainha da Inglaterra (1558-1603)