Pirro de Épiro
(318 - 272 a. C.)
Rei do Epiro, primo de Alexandre, lendariamente famoso pela frase pronunciada cunhada de vitória de Pirro, após a vitória sobre os romanos, na batalha de Asculum: Mais uma vitória como esta e estarei perdido!, ao felicitar seus generais depois de verificar as enormes baixas em seu exército. Órfão de rei-pai aos dois anos de idade, aos 12 aliou-se a Demétrio, filho de Antígono I da Macedônia, e subiu ao trono, no qual se manteve por cinco anos. Depois, no Egito, serviu ao rei Ptolomeu I, que o ajudou a organizar um exército e voltar para conquistar a Macedônia. Atingiu seu objetivo (287 a. C.) recuperando o trono, mas perdeu-o no ano seguinte. Foi chamado a auxiliar uma colônia grega do sul da Itália, Tarento, contra os romanos (281 a. C.) e derrotou-os na batalha de Heracléia e em Ásculo, a custo de tantas as baixas nas tropas que, ao ser felicitado, ironizou e originou a expressão vitória de Pirro. Após duas derrotas em Benevento (275 a. C.), convencido da impossibilidade de vencer os romanos, retornou à Grécia onde terminou de escrever suas memórias de guerra. Seus livros sobre a arte da guerra, foram citadas e elogiados por autores antigos, entre os quais Cícero. Morreu em combate, quando tentava tomar Argos.