Karl Mannheim
(1893 - 1947)
Sociólogo alemão de origem húngara nascido em Budapest, então parte do império austro-húngaro, que se destacou pelos estudos sobre a sociologia do conhecimento e o impacto das ciências na sociedade. Estudou inicialmente em Budapest e depois em Heidelberg, Alemanha, onde foi discípulo de Max Weber, economista e político defensor dos ideais democráticos, e doutorou-se em filosofia (1918). Ensinou em Heidelberg  (1926-1930) e em Frankfurt am Main (1931-1933). Perseguido pelo nazismo (1933), refugiou-se em Londres, onde tornou-se titular da cátedra de sociologia na London School of Economics (1934-1945). Dedicado particularmente à questão da educação, onde se tornou um dos primeiros teóricos da sociologia da educação, na política acreditava que as minorias socialmente conscientes eram capazes de evitar a transformação da sociedade de massas em ditadura totalitária. Sua obra sofreu a influência de Weber, Wilhelm Dilthey e Karl Marx. Seu principal livro foi Ideologie und Utopie (1929), obra fundamental para uma nova disciplina científica, a sociologia do conhecimento. Escreveu ainda muitos outros trabalhos, entre eles Diagnosis of Our Time (1943) e Freedom, Power and Democratic Planning (1950), publicação póstuma após sua morte, em Londres.