Flávio Júlio Nepos ou Flauius Iulius Nepos
(~ 430 - 480)
Imperador Romano do Ocidente (474-480), sucessor de Glicério e o último Imperador Romano do Ocidente considerado legítimo e que tentou reafirmar a autoridade de Roma sobre a Gália. Depois de suceder a seu tio Marcelino como comandante dos soldados na Dalmácia,foi nomeado Imperador do Ocidente por Leão (474), tio de sua esposa e daí o cognome Nepos (sobrinho em latim) encerrando o reinado do usurpador Glicério, quem havia sido elevado à dignidade imperial em Ravenna por um Magister militum burgúndio. Assim marchou para a Itália e entrou em Ravena (474) obrigando Glicério a renunciar e partir para a Dalmácia para assumir o cargo de bispo de Salona. Tentou consolidar o que restava do Império do Ocidente, mas era tarde para reafirmar a autoridade de Roma sobre a Gália. Negociou com sucesso com o rei visigodo Eurico, obtendo de volta o controle da Provença. Porém contra o rei vândalo Genserico para evitar a pirataria nas costas da Itália não obteve sucesso. Sem o apoio do Senado romano, devido a seus laços com o Oriente,  foi deposto por sua vez, por seu patrício, o general e comandante-em-chefe Orestes a quem havia nomeado Magister militum (475). Orestes inicialmente assumiu o controle do governo em Ravenna e obrigou o Imperador fugir de navio para a Dalmácia. De origem germânica, Orestes não podia assumir o manto imperial, mas indicou seu filho Rômulo, nascido de mãe romana, para a dignidade Romulos Augustus, considerado o último Imperador Romano do Ocidente. Oficialmente, o Império do Oriente continuou a reconhecê-lo como imperador legítimo, mas não lhe concedeu qualquer apoio prático e terminou assassinado perto de Salonas, atual Solin, na Croácia.