Golbery do Couto e Silva
(1911 - 1987)
  General brasileiro nascido em Rio Grande, Estado do Rio Grande do Sul, braço direito do primeiro presidente militar Castelo Branco e destaque como teórico do movimento político-militar (1964). Foi educado no Ginásio Lemos Júnior em sua cidade natal e ingressou (1927) na Escola Militar do Realengo, no Rio de Janeiro, então Distrito Federal.  Cursou a Escola Militar do Realengo, de onde saiu como aspirante a oficial  (1930) e serviu então no no 9º Regimento de Infantaria, em Pelotas. Foi promovido para segundo-tenente (1931) e transferido para o quartel-general da sexta Brigada de Infantaria. Promovido a primeiro tenente um pouco antes do início da Revolução Constitucionalista em São Paulo, durante este movimento serviu na Diretoria de Material Bélico, no Rio de Janeiro. Promovido a capitão (1937), serviu na secretaria geral do Conselho de Segurança Nacional e depois na Infantaria Divisionária da 5ª Região Militar, em Curitiba e  logo depois (1940) no 13º Batalhão de Caçadores, em  Joinville. Entrou na Escola de Estado-Maior do Exército (1941) e formou-se dois anos depois e passou a servir no estado-maior da 3ª Região Militar (3ª RM), Porto Alegre, Rio Grande do Sul (1943). Após o estágio na famosa escola militar Fort Leavenworth War School, nos Estados Unidos (1944), serviu na Força Expedicionária Brasileira, a FEB, como oficial capitão de inteligência estratégica e informações, até o final da Segunda Guerra Mundial. Depois da II Guerra, passou a servir no Estado-Maior do Exército, Rio de Janeiro (1946), foi promovido a major e levado para o Estado-Maior das Forças Armadas. No ano seguinte deixou  o EMFA e atuar na Comissão Militar Brasileira de Instrução, Paraguai (1947-1950). Retornou ao Brasil e, reintegrado ao EME, passou a trabalhar na seção de informações. Promovido para tenente-coronel (1951), no ano seguinte passou a trabalhar no Departamento de Estudos da Escola Superior de Guerra (ESG) como adjunto. Nesta função formulou a doutrina de segurança nacional (1952), que pregava o alinhamento do Brasil com o Ocidente em confronto com o bloco soviético. Um ano depois de passar à reserva, assumiu a direção do Instituto de Pesquisas e Estudos Sociais - IPES  (1962), função em que teve papel de destaque na preparação do golpe militar que depôs o presidente João Goulart. Assumiu o Tribunal de Contas da União (1967) e, no governo Geisel, tornou-se chefe da Casa Civil da Presidência (1974), cargo de que se exonerou (1981), por acreditar na participação de militares em um atentado no Riocentro, no Rio de Janeiro, onde se realizava um espetáculo de música popular. Escreveu Planejamento estratégico (1955) e Geopolítica do Brasil (1966), este de grande destaque entre a comunidade de informações nacional e internacional, e morreu em São Paulo, Estado de São Paulo.

Figura copiada do KLEPSIDRA:
http://www.klepsidra.net/