Georges Pierre Seurat
(1859 - 1891)
Pintor francês nascido em Paris, criador do pontilhismo, técnica neo-impressionista baseada na fragmentação da cor em pontos que, quando tomados em conjunto, definem a forma pictórica e produz um efeito granulado da imagem semelhante ao da ampliação de uma fotografia. De uma abastada família burguesa em Paris, entrou para a Escola de Belas-Artes (1878), onde estudou com Henri Lehmann. Em seu interesse pela composição de cores, contatou com o químico Michel-Eugène Chevreul sobre o cromatismo, encontro fundamental para a elaboração do pontilhismo. Entrou para o serviço militar em Brest (1879), onde realizou muitos esboços da paisagem marinha. Embora influenciado pelos impressionistas, rejeitou a espontaneidade e a ausência de forma destes, e  reintroduziu a estrutura e a formalidade na pintura. Realizou sua primeira exposição pública no salão anual de Paris (1883) e iniciou o famoso Cena de banho, Asnières, quadro que seria recusado pelo salão do ano seguinte (1884). Por esse motivo entrou para à Société des Artistes Indépendants, cujas mostras eram organizadas sem premiação e sem júri, e ligou-se então a Paul Signac.  Influenciado pelos mestres da renascença, seu trabalho caracterizou-se por ser extremamente disciplinado e ordenado. Pintou, a obra-prima de sua curta vida, Um domingo de verão na ilha da Grande Jatte (1886). Ao todo, sua obra, foi composta de quarenta e sete quadros, cerca de 500 desenhos e diversos cadernos de esboços, e morreu em Paris.