Antoine Louis Claude Destutt de Tracy, conde
(1754 - 1836)
Filósofo, política soldado francês, líder da escola filosófica dos Ideólogos e que criou o termo idéologie (1801) no tempo da Revolução Francesa, com o significado de ciência das
idéias, tomando-se idéias no sentido bem amplo de estados de consciência. Militar de carreira, aderiu à Revolução, destacando-se como deputado. Fez parte do grupo dos sensualistas, com orientação no pensamentos de Condorcet. Seus pensamentos republicanos entraram em conflito com os partidários de Bonaparte, que os acusaram de idéologues. Decorrido cerca de uma década da queda da Bastilha, o filósofo francês, exilado em Bruxelas, começou a publicar Eléments D'Idíologie (1801-1815), em 4 volumes, postulando a fundação de um original campo de estudos destinado a formar a base de todas as ciências: a ciência das idéias. O projeto desta ciência era o de tratar as idéias como fenômenos naturais que exprimiam a relação entre o homem, organismo vivo e sensível e o seu meio natural de vida. Assim, para ele, o que o estudo da ideologia possibilitava era o conhecimento da verdadeira natureza humana ao perguntar de onde provinha nossas idéias e como se desenvolviam. Poucos anos depois dessa publicação, o termo ideologia adquiriu uma conotação, eminentemente pejorativa, a ponto do ensino da disciplina Ciência Moral e Política, ser proibida no Institut de France (1812) por Napoleão Bonaparte, que pragmaticamente preferia a força dos canhões a das palavras, que acusou o autor e outros professores da citada disciplina, de pregarem oposição ao seu governo. Inspirou o positivismo de Comte e teve como discípulos Stendhal e Sainte-Beuve e morreu em Paris. Defendia a distribuição de poderes, a liberdade política, considerando que esta não pode florescer sem liberdade individual e sem liberdade de imprensa.